quarta-feira, 20 de abril de 2011

Peixes são aliados da saúde e da dieta


As propriedades nutricionais que os peixes carregam e os benefícios que trazem ao nosso organismo fazem deste alimento uma ótima opção de proteína para fazer parte de uma alimentação equilibrada durante o ano inteiro.

Cada brasileiro consome, em média, menos de 7 quilos de peixe por ano. A quantidade mínima recomendado pela Organização Mundial de Saúde são 12 quilos. Mesmo assim, muita gente bate o pé e assume que não gosta desta carne branca de jeito nenhum.

Mas será que você não gosta de peixe mesmo? Ou provou uma espécie ou modo de preparo que não combinou com o seu paladar? Para te ajudar nesta descoberta, oMinha Vida ouviu a nutricionista Patrícia Bertolucci, da PB Consultoria em Nutrição, de São Paulo, que avalia os benefícios dos oito peixes mais consumidos do Brasil, suas propriedades nutricionais, os preços e ainda entrega uma deliciosa receita de cada um.
Hora de comprar o peixe 
Este momento é fundamental para que sua garfada seja ainda mais nutritiva e saborosa. "É importante destacar que a forma de preparo do peixe influencia muito na quantidade de calorias e gorduras. A pele do animal não deve ser retirada, pois ela é considerada a proteção contra o ressecamento, preservando o suco natural e o sabor do peixe", explica Patrícia.

A seguir, a nutricionista ensina como comprar o melhor peixe, o fresco. Observe:

Olhos 
Devem ser transparentes e brilhantes, como se o peixe ainda estivesse vivo. Quando o peixe fica muito tempo no gelo ele fica com os olhos achatados e sem brilho.

Corpo 

Tem que estar liso, com a pele intacta e a carne firme, quando pressionamos o dedo sobre ela.

Guelras 
Devem estar brilhantes e ter cor vermelha, clara, sem marcas cinzentas. Pele Tem que estar brilhante e úmida ao tato. A cor pode variar, dependendo das características das espécies.

Escamas 
Devem estar brilhantes e firmes, presas ao corpo. Não devem estar embaçadas e opacas, passe a mão no peixe e verifique se as escamas estão se soltando facilmente. Caso estejam, evite.

Odor 
O cheiro não deve ser forte ou azedo, parecido com iodo ou amônia, que é sinal de que já passou da data de validade. 
Como comprar peixes Não frescos
Seco e salgado 

O peixe seco e salgado já vêm limpo, sem a cabeça. Alguns até sem o rabo. Para comprar, verifique se está realmente seco, com a carne clara e firme, sem a presença de manchas, marcas ou pintas. O cheiro também deve estar agradável, sem um odor de azedo. Não deve ter manchas na carne de cor avermelhadas, que é causada por um fungo, o "vermelhão". A carne não pode estar úmida e mole. As bordas não devem estar descoloridas ou escurecidas.

Congelado 
Os peixes congelados devem estar acondicionados em embalagens fechadas e bem lacradas. Opte pelas embalagens transparentes que permitem analisar o produto. A carne não deve estar descolorida, com manchas ou pintas. Geralmente os congelados vêm sem a pele. Prefira os filés e postas. Observe se não há formação irregular do gelo, que pode se formar pelo descongelamento e recongelamento.

Enlatado 
Os enlatados são as chamadas conservas. A lata deve estar inteira, sem ferrugens, sem furos ou amassados, principalmente nos cantos ou bordas e não deve estar estufada. Defumados O peixe deve ter a carne firme, com a coloração uniforme, sem manchas ou pintas escuras ou de mofo. Quanto mais velhos, mais ressecados eles ficam. Apesar do odor de defumado, não deve ser azedo ou muito forte.

Tire já esta dúvida 

Peixes de água doce, como Pacu, Dourado e Pintado, são bastante gordurosos e calóricos? 

"Não. Pelo contrário. Eles têm baixa quantidade de caloria e gordura, apenas o pacu é considerado o mais calórico e contém um maior teor de gordura entre eles", esclarece a nutricionista. 
PeixesCalorias (Kcal)Gordura (g)
Pintado911,3
Dourado800,5
Pacu1458,0
Todos os peixes são ricos em ômega 3, a gordura que faz bem ao coração?
Os peixes de água doce e salgada são considerados fontes de proteínas na nossa alimentação. Porém, as espécies de origem marinha apresentam maior quantidade de ácidos graxos ômega 3 do que os de água doce. Isso acontece, pois os peixes de água salgada se alimentam de fitoplâncton marinhos que contém esses ácidos graxos, já os animais de água doce são mais ricos em ômega 6, pois, estes se alimentam de crustáceos, larvas, além de fitoplâncton de água doce. 

Um comentário:

Ministério da saúde disse...

Olá, blogueiro!
Participe da campanha contra o preconceito!
Você pode divulgar informação com apenas um clique. Para acabar a discriminação contra pessoas que possuem o vírus HIV, basta que você faça parte dessa luta! Divulgue o vídeo: http://migre.me/48REC. Somos iguais!
Para mais informações: comunicacao@saude.gov.br http://www.todoscontraopreconceito.com.br , http://www.aids.gov.br ou http://www.formspring.me/minsaude
Siga-nos no Twitter: http://twitter.com/minsaude
Atenciosamente,
Ministério da Saúde.