domingo, 3 de fevereiro de 2008

Obesidade No Brasil

OBESIDADE NO BRASIL

Pesquisa mostra que 49,4 milhões de brasileiros estão acima do peso

SÃO PAULO - Estudo feito pela empresa de pesquisa LatinPanel mostra
que 41% dos brasileiros com mais de sete anos estão acima do peso,
num total de 49,4 milhões de pessoas. Entre as crianças com idade
entre 7 e 12 anos, 35% estão com excesso de peso, um dado considerado
alarmante pelos pesquisadores. Há mais mulheres com sobrepeso ou
obesas do que homens. Entre as mulheres ouvidas na pesquisa, 42%
estão acima do peso. Entre os homens, o percentual é menor, de 38%.
De acordo com a pesquisa, 15% das mulheres e 12% dos homens
brasileiros estão acima do peso.

A LatinPanel ouviu 25 mil pessoas, representando 82% da população
brasileira e 86% do potencial de consumo. O estudo relacionou o
índice de peso dos entrevistados (baseado no IMC - Índice de Massa
Corpórea - adotado pela Organização Mundial de Saúde) classificando-
os em quatro grupos: abaixo do peso, dentro do peso, sobrepeso e
obesos. Com base nestes dados, foram identificados por grupo hábitos
alimentares, práticas de esportes, cuidados com a saúde e atitudes
com os filhos.

O problema da obesidade está relacionado com hábitos de alimentação
pouco saudáveis. Segundo a pesquisa, 66% das pessoas comem sobremesa
regularmente, 68% beliscam entre as refeições, 55% jantam vendo TV e
81% bebem líquido durante as refeições. Entre os obesos, só 12% se
preocupam em ler os rótulos nutricionais dos alimentos e só 10%
procuram produtos com menos gordura. Na média da população, 14% lêem
rótulos e 18% procuram produtos com baixo teor de gordura ou sem
gordura.

Os hábitos estão refletidos também nos produtos comprados. Nas
residências onde a dona da casa é obesa são comprados 20% mais
refrigerantes e leite condensado do que a média nacional, 17% a mais
de farinha de trigo e creme de leite e 16% mais maionese e óleo. O
gasto com compra de alimentos e bebidas é 10% maior do que a média.
Nas casas onde mulher, marido e/ou filhos são obesos, o consumo de
maionese chega a ser 75% superior à média. Nada menos do que 66% das
casas onde moram obesos têm salgadinhos.

Nas residências onde as donas-de-casa estão abaixo do peso, foram
registrados 40% a mais de consumo de chá pronto, 17% de bebidas à
base de soja e 8% a mais de adoçantes.

O comportamento das mães também influencia os filhos. Nada menos do
que 39% das mães com crianças até 8 anos ameaçam o filho com castigos
se ele deixar de comer. Além disso, 48% das mães que transformam a
ida a uma lanchonete como lazer estão acima do peso.

Além de escolher alimentos pouco saudáveis, os mais obesos fazem
poucas refeições por dia. Normalmente, os nutricionistas orientam as
pessoas a comer alguma coisa de quatro em quatro horas (seis
refeições por dia). Segundo a pesquisa, 48% das pessoas que estão
acima do peso fazem apenas uma ou duas refeições diárias.Em
compensação, só 24% das pessoas que fazem mais de sete refeições ao
dia estão acima do peso.

A prática de esportes também tem sua parcela de contribuição. Mais de
80% dos pesquisados disseram que praticam algum tipo de esporte e 53%
estão na faixa de peso ideal. Mas 47% deles continuam acima do peso.
Porém, enquanto as pessoas dentro do peso preferem atividades como
futebol (66%), academia (63%) e ciclismo (63%), quem está acima do
peso opta pela caminhada (55%).

O instituto concluiu que há ainda correlação entre renda e obesidade.
Nas classes A, B e C, 14% das pessoas estão acima do peso, contra 13%
nas classes C e D. A diferença é pequena, mas se acentua de acordo
com a região. No interior de São Paulo, 44% das pessoas estão acima
do peso. Nas regiões Norte e Nordeste, o índice cai para 37%. Grau de
instrução, no entanto, não influencia: estão acima do peso 46% das
pessoas com alta escolaridade e 44% dos indivíduos com baixa
escolaridade.

Como era de se esperar, a pesquisa mostrou ainda que as pessoas acima
do peso têm mais problemas de saúde. Do total de entrevistados, 14%
disseram já ter sofrido de alguma doença do coração e 59% deles
estavam acima do peso.


Fonte: Jornal O GLOBO

3 comentários:

TeLmA disse...

Eu amei seu comentário e adorei seu post!!! Pode ter certeza que ganhou uma leitora!!!
Eu preciso emagrecer no mínimo uns 10 quilos, eu queria mesmo uns 15...
Obrigada pelo apoio! O blog da Carol é um incentivo e o seu também!!!
Um beijo

Dani Helinsky disse...

Oi Rui !
Obrigada pelo apoio.
Com certeza eu tenho que me espelhar na Carol e no seu caso de sucesso.
Desistir jamais!
Bjos !!

Crista disse...

Tu é que estás de PARABÉNS!!!
Muito obrigada pela visita, virei sempre aqui!
Mil beijocas